3 minutos de leitura

Você já ouviu falar sobre o “Plano de Combate ao Backlog de Patentes”? Nos últimos meses o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) vem implantando este projeto que tem como objetivo reduzir o número de pedidos pendentes de decisão em 80% até 2021, além de reduzir o prazo médio de concessão para cerca de dois anos a partir da data de pedido do exame.

Mas, como o INPI pretende alcançar essas metas?

Uma série de ações vêm sendo tomadas para que as metas pré-definidas sejam alcançadas dentro do prazo estipulado, e o backlog nacional de patentes seja reduzido. Uma dessas ações trata-se de um sistema que permitirá ao usuário agilizar a recuperação dos pareceres gerados no exame e publicados na Revista da Propriedade Industrial (RPI). O objetivo deste sistema é facilitar o acesso à documentação produzida pelos examinadores.

Outra ação proposta diz respeito às patentes de invenção que já foram avaliadas em outro país, a novidade é que a busca realizada anteriormente será anexada ao exame do pedido de patente realizado no Brasil. Após esta busca ser acoplada ao exame, será emitida uma exigência para que o solicitante aprove o documento ou faça alterações, se necessário. Só então a banca examinadora irá avaliar o processo segundo a Lei de Propriedade Industrial brasileira. Caso não haja resposta por parte do solicitante, o pedido será arquivado. O foco nessas patentes se deu pelo fato de que elas representam cerca de 80% dos processos que estão na fila de avaliação.

A ideia da exigência também será utilizada para pedidos que não tenham sido avaliados em outro país, assim, o examinador do INPI só fará a avaliação da patente após uma resposta do solicitante.

Existem ainda os exames prioritários que já tem um tempo de concessão reduzido. Esse exame prioritário beneficia alguns grupos específicos, são eles: idosos, microempresas e empresas de pequeno porte, instituições de ciência e tecnologia, criadores de tecnologias verdes e participantes do Pantent Prosecution Highway (PPH). A categoria de “instituições de ciência e tecnologia” está como projeto-piloto.

Tempo médio para concessão de uma patente no Brasil

Segundo uma pesquisa divulgada pela OMPI (Organização Mundial da Propriedade Intelectual)¹, em 2017 o Brasil demorava cerca de 95 meses para conceder uma patente, em contrapartida, a China e o EPO (Instituo Europeu de Patentes) levavam por volta de 22 meses. Em uma comparação feita com mais 20 países o Brasil é o país que possui o maior tempo de concessão para uma patente.

¹https://www.wipo.int/edocs/pubdocs/en/wipo_pub_941_2018-chapter2.pdf (Pg. 65).

Sobre o Autor

ARTIGOS RELACIONADOS

Como posso calcular o valor de royalties?

Nesses anos, temos observado que as abordagens tradicionais de valoração como apresentadas no artigo “Métodos de Valoração de Tecnologias” funcionam bem em contextos de transferência ou cessão de tecnologias e patentes (quando precisamos de um valor financeiro para a tecnologia). No entanto, essas abordagens têm limitações em situações de licenciamentos baseados no valor de royalties […]

Licença compulsória: definições e conceitos

Primeiramente, o termo quebra de patente não é o mais apropriado para tratar do assunto, uma terminologia melhor seria licença compulsória. Mas, o que isso significa? Licença compulsória: definições e conceitos Toda patente registrada por um órgão que regulamenta a propriedade intelectual terá um tempo máximo de existência. No Brasil, este tempo é de 20 anos […]

Divertidas e inusitadas patentes de invenções de Natal

Natal é um período especial para os brasileiros e pessoas de todo o mundo, seja por compartilhar do espírito natalino e de ano novo, seja porque todo mundo ama fazer compras e ganhar um presente. Por causa disso, muitos inventores, percebendo o momento ideal, registraram patentes de vários inventos diretamente relacionados ao Natal e as […]

envelopephone-handset linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram